Uma análise económica à transição do papel para o online

Os desafios colocados pelos suportes online aos modelos de negócios tradicionais nos jornais são bem conhecidos dos gestores de jornais. Especialmente porque ninguém ainda sabe muito bem como fazer a transição suave entre o papel e o online.

Quando deixar de apostar no papel? Papel e online dois devem viver em conjunto? E por quanto tempo? Será possível sobreviver apenas com online (que director e empresa não gostaria de conseguir isso)? O que dizem os anunciantes?

Estas são algumas das questões que serão debatidas nas conferências “Jornalismo em tempos de crise”. Por enquanto um contributo para a reflexão. Ken Doctor, um analista da indústria nos EUA, oferece no  Nieman Lab um conjunto de indicadores que pretendem ajudar a medir a oportunidade da transição entre suportes.

O texto é bastante técnico e centrado na realidade norte-americana, mas ainda assim ajuda a reflectir este desafio actual. As 11 perguntas que Doctor analisa:

  1. What percent of print ad loss is made up by digital ad gain?
  2. What percent of ad sales are coming from new customers and new products?
  3. At what point do you double the number of advertisers you have?
  4. At what point does more than a third of your ad revenue come from selling other companies’ products?
  5. At what point do ad formats other than simple cost-per-thousand (CPM) impression-based advertising equal a quarter or more of publishers’ revenues?
  6. When will publishers find reader revenue accounting for 50 percent or more of overall revenues?
  7. When will publishers “authenticate,” or register, 50 percent or more of print subscribers?
  8. When will publishers reach the 10 percent mark, adding new all-access, or digital-only, subscribers who are not current print subscribers
  9. What percent of print readers will be tablet-mainly by 2015?
  10. When will publishers be able to devote more than 50 percent of their expenses to content and sales?
  11. When will ad spend meet up with time spent, and maybe cross over there, too?
Esta entrada foi publicada em Crise internacional, Crise nacional, Novos media com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s