“Jornalismo em tempos de crise”: programa das duas primeiras sessões

No sábado dia 31 de março, a Casa da Imprensa recebe as duas primeiras sessões das conferências “Jornalismo em tempos de crise”, que têm lugar na Rua da Horta Seca, nº 20, em Lisboa, a partir das 14h45.

As sessões têm como tema central a viabilidade económica das empresas de media e do negócio da informação e pretendem ainda debater os desafios que enfrentam os que dirigem meios de comunicação social em situação de crise.

Com grande parte dos oradores confirmados, está pronto o programa das duas primeiras sessões das conferências, a primeira iniciativa pública do “Fórum de Jornalistas”.

1ª Sessão, 14h45

Gerir jornais numa era de declínio. Uma missão impossível? O primeiro painel propõe-se debater os temas mais operacionais que resultam de gerir, no dia-a-dia, um jornal ou um grupo de media num contexto de queda de receitas. Qual o impacto nas opções editoriais? Que temas e abordagens a privilegiar? Até onde se pode ir no corte de custos e de pessoal sem comprometer a qualidade e a pluralidade? Os media estão mais vulneráveis a pressões económicas/financeiras?

Convidados confirmados:

José Azeredo Lopes (ex-presidente da ERC)

José Manuel Fernandes (ex-diretor do Público)

Pedro Norton (vice-presidente da comissão executiva da Impresa)

Pedro S. Guerreiro (diretor do Jornal de Negócios)

Moderador: Manuel Esteves

Intervalo, 16h30

2ª Sessão, 17h00

A informação ainda é um bom negócio? Pode voltar a ser apetecível ao investidor? O jornalismo é um negócio que dá lucro? O retrato económico dos principais grupos de media e sua evolução recente é o ponto de partida para o segundo painel onde se pretende abordar a perspetiva dos investidores, anunciantes e acionistas. Ainda vale a pena investir nos media? Em que formatos e quais as novas soluções?

Breve apresentação da evolução da situação económica dos principais grupos e empresas proprietárias de órgãos de informação em Portugal da responsabilidade da jornalista Ana Suspiro.

Convidados confirmados:

André Freire Andrade (presidente executivo da Carat Portugal e Espanha)

Francisco Pinto Balsemão (presidente do conselho de administração e maior acionista da Impresa)

Rui Borges (ex-jornalista que lançou projetos empresariais na área dos media)

Moderador: Bruno Faria Lopes

Espaço aberto para debate.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s