Contrato de trabalho dos jornalistas extensível a todos

O contrato colectivo de trabalho (CCT) dos jornalistas é extensível a todas as empresas, mesmo que não estejam na Associação Portuguesa de Imprensa. A portaria de extensão, segundo João Palmeiro, presidente desta associação, foi publicada em Maio do ano passado, pelo “aplica-se às associadas e não associadas, que são o Público, A Bola e o Sol”.

João Palmeiro, que falava no âmbito do workshop organizado pelo Fórum de Jornalistas sobre o mercado de trabalho, realçou o trabalho que foi feito para que a Associação chegasse a acordo para a concretização do Contrato Colectivo de Trabalho com o Sindicato dos Jornalistas.

“Sabem quanto custou à associação?”, questionou João Palmeiro, para responder “mais de 200 mil euros”. E “quantas horas de trabalho?” Para João Palmeiro, “o CCT é dos mais modernos e adequados que existem”. A intervenção foi feita depois de um conjunto de dúvidas levantadas por jornalistas, no âmbito do workshop, que, segundo João Palmeiro, estão respondidas no CCT, disponível no “site” da associação.

“Cinco anos de trabalho para ouvir dizer que não serve para nada”, atirou, concretizando: “90% das questões levantadas [no workshop] estão esclarecidas e explicadas no contrato colectivo de trabalho”. Dá como exemplo as dúvidas sobre a classificação que “foi das discussões mais profundas que tivemos”. No contrato ficou previsto um regime em  que o empregador tem direito a estabelecer um sistema de classificação, mas os jornalistas têm o direito de o discutir.

Outro exemplo dado por João Palmeiro está ligado aos subsídios de exclusividade pagos a alguns jornalistas. “Exclusividade não existe. As empresas tiveram seis meses para integrar o subsídio de exclusividade nos salários. Se não integraram passou a fazer automaticamente parte do salário. Está escrito no contrato colectivo de trabalho. Eu assinei”.

O representante patronal deixou, ainda, a informação que a Associação Portuguesa de Imprensa mantém em funcionamento uma comissão com todos os directores de recursos humanos das grandes empresas onde são discutidas questões do sector, nomeadamente a recente decisão de alguns grupos de comunicação social terem deixado de pagar o subsídio de refeição em numerário e passarem a pagar em senhas de refeição. A questão foi levantada, mas João Palmeiro diz não haver decisão, mas garantiu que não partiu de qualquer indicação generalizada.

 

Esta entrada foi publicada em Condições laborais, Conferência, Fórum de Jornalistas, Jornalismo com as etiquetas , , . ligação permanente.

Uma resposta a Contrato de trabalho dos jornalistas extensível a todos

  1. Pingback: Sindicato promove inquérito sobre contrato colectivo | Fórum de Jornalistas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s