New York Times é agora financiado mais pelos leitores que pela publicidade

A receita de vendas dos jornais pertencentes à New York Times Co. ultrapassou pela primeira vez os ganhos de publicidade. Segundo os resultados do primeiro trimestre apresentados hoje, apesar de a publicidade continuar a afundar, a circulação paga está a crescer.

Os três maiores jornais do grupo – “The New York Times”, “International Herald Tribune” e “Boston Globe” – registaram uma quebra de 6,6% da publicidade em papel e online, para os 220 milhões de dólares. No entanto, ao mesmo tempo, a receita da circulação paga cresceu 8,3% para os 233 milhões de dólares.

“São provavelmente o primeiro grande jornal a atravessar essa linha. É um momento interessante”, afirma à New York Magazine, Ken Doctor, da Newsonomics.

Rick Edmonds, da Poynter, acrescenta que “escapar da historicamente grande dependência da publicidade é um fator positivo”. “Ainda estão a tentar estabilizar a publicidade, não tendo sido muito bem sucedidos. Mas as subscrições digitais têm sido mais bem sucedidas do que muitas pessoas queriam que fossem.”

O grupo tem agora 509 mil subscritores digitais, acima dos 454 mil em março, mês em que o NY Times limitou o número de artigos que podem ser lidos gratuitamente.

Ao mesmo tempo, o custo do jornal em papel também aumentou mas, até agora, os leitores têm estado dispostos a compensar essa diferença.

Esta entrada foi publicada em Crise internacional, Jornalismo com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s